O CULTO DOMÉSTICO COMO POSSIBILIDADE DE ENFRENTAMENTO EM MEIO À CRISE DA PANDEMIA DA COVID-19

  • Ailto Martins PUC/PR
  • Celma Marília da Natividade Leão Chingulo Faculdade Refidim

Resumo

A pandemia da Covid-19 provocou várias mudanças nos modos de convivência da sociedade contemporânea. Neste sentido, foram adotadas medidas sanitárias
que impossibilitaram a frequência regular a cultos presenciais. É necessário que se proponha, dentro do ambiente acadêmico e eclesiástico, uma reflexão sobre o significado teológico de culto cristão que se apropria do sacerdócio universal, sobretudo na adoção de novas dinâmicas de culto, como é o culto doméstico e
suas repercussões na vida familiar e comunitária. Objetivo: Este trabalho teve como objetivo analisar a importância do culto doméstico como estratégia a ser
adotada para o crescimento e fortalecimento das famílias e igrejas, em momentos de crise. Métodos: Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica que propõe a análise teológica e bases históricas do culto cristão. Para uma melhor compreensão, fez-se a divisão do trabalho em três capítulos. No primeiro capítulo, faz-se uma digressão histórica sobre a visão de culto que o povo de Israel tinha descrita no Antigo Testamento e a igreja do Novo Testamento, e sobre como, ao longo da história, a concepção de culto foi mudando e ganhando novas perspectivas. No entanto, existiu e acredita-se que ainda exista, uma tendência de buscar um conhecimento sobre um modelo litúrgico, ou seguir uma forma de culto que seja mais assertiva, e para isso, deve-se olhar em primeira mão, para a vida inteira de Jesus. Deste modo, o culto cristão tem por fundamento o “culto messiânico” celebrado por Jesus no período que medeia entre sua encarnação e ascensão. No segundo capítulo, faz-se uma abordagem sobre as divergências e impossibilidades do culto doméstico na história da igreja. Analisa-se o conceito de tradição que remete à ideia de continuidade da transmissão de um ensino, de uma prática, ou a notícia de um evento para outras pessoas que, de outra forma, não os conheceriam. Neste capítulo, enfatiza-se a institucionalização da Igreja como sendo o principal fator a repercutir sobremaneira na liturgia e no próprio culto cristão. No terceiro e último capítulo, faz-se uma discussão a respeito da grande defasagem existente nas comunidades cristãs sobre o culto doméstico e o seu ensino. Analisa-se criteriosamente os benefícios que o culto cristão traz, sobretudo em momentos de crises, como o caso da pandemia da Covid-19, tanto para a família que o adota, quanto para a comunidade local e a sociedade como um todo. Resultados: O culto doméstico é necessário por si só, pela sua própria utilidade. Argumenta-se que sua necessidade é originária de sua própria razão de ser ou existir desde a fundação do mundo. A adoção do culto doméstico permite o bem-estar familiar, promove a paz interior, auxilia na criação dos filhos, promove o crescimento e o desenvolvimento da comunidade cristã, promove uma espiritualidade madura e, desta forma, possibilita a existência de uma sociedade sadia. Portanto, é necessária a construção de um ensino fundamentado na palavra de Deus sobre o sacerdócio universal, e através desse entendimento as igrejas locais e famílias ampliem o ensino cristão através do culto doméstico.

Biografia do Autor

Ailto Martins, PUC/PR

Doutor em Teologia – (PUC/PR). Professor da Faculdade Refidim. Coordenador de Extensão. 

Celma Marília da Natividade Leão Chingulo, Faculdade Refidim

Graduanda em Teologia – sétimo semestre - Faculdade Refidim.

Publicado
2022-04-07